Medicina Tradicional Chinesa

Por Fernando  Davino Alves

A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) é um sistema holístico de diagnóstico e tratamento, completo, desenvolvido ao longo de milhares de anos de experiência e firmado sob princípios filosóficos, humanistas e naturalistas. Seus fundamentos compreendem o homem como um “sistema aberto, que efetua com o ambiente trocas de matéria-energia e informação”, capaz de se autorregular de acordo com as percepções das variações externas, utilizando um sistema de integração e de ajuste para manter uma organização adequada do meio interno.

Os antigos médicos chineses acreditavam que o processo de saúde não se definia como a mera ausência de doenças, mas pelo equilíbrio dinâmico do ser humano como um todo (físico, mental, espiritual) e diretamente relacionado com a natureza. Ainda entendiam que a doença é multifatorial, tendo inúmeras influências sobre o indivíduo, também tinham a noção da transmissão de geração para geração, nos dias atuais, a predisposição genética.

Desde 1979, Organização Mundial de Saúde, incentiva a difusão e prática da MTC, principalmente, pelo seu caráter preventivo de doenças. O Brasil vem seguindo esta tendência mundial, através do Ministério da Saúde, por meio da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares do SUS – PNPIC, incorporando, em 2006, a Medicina Tradicional Chinesa nas políticas públicas de saúde, de forma multidisciplinar.

A Medicina Tradicional Chinesa é uma medicina empírica, pois sua estrutura teórica foi sendo formada ao longo de uma prática clínica diária, sendo os erros descartados e os acertos somados. Os registros clínicos somados há mais de 5 mil anos estão descritos nos livros clássicos da MTC que apresentam fundamentos distintos de anatomia, fisiologia, fisiopatologia; também englobam várias técnicas terapêuticas, sendo atualmente as mais conhecidas: Fitoterapia Chinesa, Acupuntura-Moxabustão, Massagem Chinesa (Tuina), Dietética e os Exercícios terapêuticos (Qigong, Taijiquan, Meditação, entre outros).

No ocidente, uma das terapêuticas do rol de procedimentos da Medicina Tradicional Chinesa mais conhecida é a acupuntura, que consiste na inserção de agulhas em pontos existentes por todo o corpo, por onde passam meridianos que se ligam interna e externamente com todas as estruturas orgânicas, buscando harmonizá-lo quando em desequilíbrio. Normalmente, associada a acupuntura, temos a moxabustão, que trata-se de uma terapêutica onde o calor é usado para o tratamento de várias patologias agudas ou crônicas, bem como para prevenção e promoção de saúde.

Atualmente, no Brasil não existe uma regulamentação vigente para a MTC, o que vem ocorrendo são tentativas de auto-regulamentação por conselhos e entidades da saúde. Enquanto o governo federal não se posiciona a prática é livre e a fiscalização fica por conta das entidades de cada profissão na área da saúde e da vigilância sanitária.

Facebooktwitterlinkedinmail

Comentário (4)

  • Marlene| 28 de março de 2019

    Muito obrigada pelo esclarecimento. Gostei da explanação precisa e contundente. Parabéns.

    • admin| 2 de abril de 2019

      Eu quem agradeço o tempo dispensado em entender um pouco mais de uma medicina tradicional, que está começando a se tornar mais comum no Brasil e pode trazer muitos benefícios. Marlene, os 10 anos na China, que passei estudando e praticando a Medicina Tradicional Chinesa, me dá segurança para esclarecer de forma clara e precisa o tema. Espero que tenha gostado!

  • marcos oliveira| 27 de janeiro de 2019

    gostei muito do post,vou acompanha o seu blog este tipo de conteudo tem mim ajudado muito

    • admin| 1 de fevereiro de 2019

      Olá Marcos, que bom que gostou do conteúdo do meu Blog. O objetivo é este mesmo, ajudar os colegas e transmitir informações.Em breve mais conteúdo: fique de olho!

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *